Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
INDICE DOS ASSUNTOS   (17-10-2016)
GOLPE DE 64  (17-10-2016)
Snowden   (17-10-2016)
NOSTRADAMUS  (17-10-2016)
SÉCULO  (17-10-2016)

Rating: 3.4/5 (1320 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...




Bomba Atômica
Bomba Atômica

O Brasil está entre os poucos países que dominam a tecnologia de enriquecimento de urânio, produto necessário para abastecer as usinas nucleares e produzir energia, no entanto a  Constituição de 1988 proíbe. Segundo, porque acordos foram assinados , garantindo que a tecnologia nuclear desenvolvida no país será apenas para fins energéticos.

O  Brasil  utiliza  uma tecnologia mais barata do que a usada nos outros países.

 

"O Brasil é o único país que tem uma usina de enriquecimento de urânio inspecionada, porque os outros países são considerados, pelo TNP (tratado de não-proliferação nuclear), como "nucleares" e não são obrigados a se deixar inspecionar".

 

Países que possuem a bomba atômica 

 

Estados Unidos, França, Reino Unido, China, Rússia, Paquistão e Índia .

 

O urânio precisa ser enriquecido, porque há três variações dele na natureza, classificados de acordo com o número de partículas do núcleo,  o U235  é a mais rara, por isso as demais variações, mais abundantes, têm seu núcleo enriquecido para ficar como o U235.

                                                                                                                                                     Uma bomba atômica  é uma arma explosiva cuja energia deriva de uma reação nuclear e tem um poder destrutivo imenso — uma única bomba é capaz de destruir uma cidade grande inteira.

 

 Bombas atômicas só foram usadas duas vezes em guerra, ambas pelos Estados Unidos contra o Japão, nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, durante a Segunda Guerra Mundial, em torno de  200 mil mortos, já ocorridos na história). No entanto, elas já foram usadas centenas de vezes em testes nucleares por vários países.

 

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=NIAXvAdKYsk


Além do ministro da Defesa de Israel, pouca gente sabe precisamente quantos mísseis armados com ogivas nucleares o país tem.
O Instituto de Estudos Estratégicos com sede em Londres diz que Israel tem “cerca de 200” ogivas nucleares carregadas em mísseis terra-ar Jericho 1 e Jericho 2 de curto e médio alcance. Jane, a empresa da Defesa-informação, estima que, no total, o número de ogivas nucleares esteja entre cem e 300, o que põe o arsenal nuclear de Israel lado a lado com a capacidade nuclear de britânicos e franceses. E muitos acreditam que essas ogivas já estejam carregadas nos novos mísseis balísticos intercontinentais Jericho 3, que têm alcance de mais de 7.200km – o que significa que, em teoria, podem atingir alvos na Europa e na Ásia.

Desde  a década de 60, quando Israel construiu sua primeira bomba atômica, governos sucessivos têm-se recusado a reconhecer a existência do programa israelense de armas atômicas.

Em 1986, Mordechai Vanunu, ex-técnico nuclear, entregou ao Sunday Times de Londres, fotografias que havia tirado do Centro de Pesquisa Nuclear do Negev, próximo à cidade de Dimona. Depois de publicada a história de Vanunu, agentes do Mossad sequestraram-no em Roma, onde passava férias, e o levaram de volta a Israel. Cumpriu pena de 18 anos de prisão, 11 dos quais em confinamento (solitária).

Agora que Israel ameaça bombardear o programa de pesquisas nucleares para finalidades pacíficas do Irã,  porque nem os serviços de inteligência dos EUA acreditam que tenha evoluído até o estágio de poder tentar construir bombas atômicas, segundo o Times.


Evidentemente, o governo de Israel tem pleno direito de formular como lhe apraza suas políticas, considerados os interesses do país. E, também evidentemente, os EUA devem fazer o mesmo. Em seu discurso ao AIPAC, ontem, o presidente Obama disse o seguinte:

Um Irã nuclear é completamente contrário aos interesses da segurança de Israel. Mas também é contrário aos interesses da segurança nacional dos EUA. Na verdade, todo o mundo tem interesse em impedir que o Irã chegue a uma arma nuclear. Um Irã armado com arma nuclear poria abaixo todo o regime de não proliferação que tanto nos custou construir.

E em todo aquele longo discurso, nem uma vez houve qualquer menção às bombas atômicas israelenses, nem à persistente recusa, por Israel, a assinar o Tratado de Não Proliferação Nuclear (do qual o Irã é signatário).

Algum presidente dos EUA algum dia reconheceu publicamente a existência das bombas atômicas de Israel?

Pesquise este assunto para ter mais informações.....


http://youtu.be/EAWCYi7dvys