Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
INDICE DOS ASSUNTOS   (17-10-2016)
GOLPE DE 64  (17-10-2016)
Snowden   (17-10-2016)
NOSTRADAMUS  (17-10-2016)
SÉCULO  (17-10-2016)

Rating: 3.4/5 (1310 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...




HISTORIA DE UM MILAGRE
HISTORIA DE UM MILAGRE




A HISTÓRIA DE UM MILAGRE

 

 

No dia 22 de Julho eu estava indo para Washington, DC, em uma viagem de negócios. Houve uma parada para uma mudança de aviões e havia uma aviso de telefonema para o Sr. Lloyd Glenn. Eu não pensei em nada até que cheguei à porta do avião para sair, e vi uma pessoa perguntando a todos os homens se eles eram o Sr. Glenn. Neste ponto eu sabia que algo estava errado e meu coração encolheu. Quando eu saí do avião um jovem veio até mim e disse: "Sr. Glenn, há uma emergência na sua casa. Eu não sei o que é ou quem está envolvido, mas eu o levarei até um telefone para que o sr. chame o hospital."

Meu coração agora estava muito acelerado, mas prevaleceu minha vontade de estar calmo. Quando eu chamei o hospital, minha chamada foi passada para o centro de traumas. Aí eu soube que meu filho Brian, de 3 anos, tinha ficado preso sob a porta automática da garagem durante vários minutos e que quando minha esposa o encontrou, ele estava morto. Um vizinho que é médico, fez respiração artificial e os paramédicos continuaram o tratamento enquanto Brian era transportado para o hospital. Quando eu telefonei, Brian tinha sido revivido e eles acreditavam que ele viveria, mas não se sabia o quanto isto havia afetado o seu cérebro e o seu coração.

Eles explicaram que a porta havia se fechado completamente no seu osso esterno, exatamente em cima do seu coração. Ele havia sido bastante esmagado. Após conversar com o pessoal médico, minha esposa parecia preocupada, mas não histérica e eu fiquei mais confortado com sua calma.

O vôo de volta pareceu durar para sempre e finalmente, 6 horas depois do acidente, eu cheguei ao hospital. Quando eu entrei na UTI, nada poderia ter me preparado para ver meu filhinho deitado naquele grande leito, com tubos e monitores por todo o lado. Ele estava num respirador. Eu olhei para minha esposa que tentou me dar um sorriso de conforto. Tudo parecia um sonho terrível. Brian ia sobreviver e os testes preliminares indicavam que seu coração estava OK - 2 milagres por si mesmos. Mas somente o tempo diria se o cérebro havia recebido alguma injúria.

Nas intermináveis horas seguintes, minha esposa estava calma. Ela sentia que Brian ficaria bem. Eu me apoiei na fé e nas palavras dela. Brian permaneceu inconsciente toda a noite e no dia seguinte. Finalmente às 2 horas da tarde, nosso filho recobrou a consciência e sentou-se, pronunciando as mais belas palavras que eu já havia ouvido: "Papai, me pegue no colo" e ele estendeu seus braços para mim. No dia seguinte os médicos declararam que não havia problemas neurológicos ou deficiências físicas e a história da sua sobrevivência milagrosa se espalhou pelo hospital. Vocês não podem imaginar nossa gratidão e alegria. Enquanto levávamos Brian para casa, sentíamos uma profunda reverência pela vida e um amor pelo Pai Divino, que vem para aqueles que sentiram a morte tão de perto.

Nos dias seguintes, havia uma energia especial em nossa casa. Nossos 2 outros filhos ficaram muito mais ligados ao irmãozinho. Minha esposa e eu estávamos muito mais próximos um do outro e todos estávamos mais próximos como uma família. A vida continuou num passo sem stress. Nós nos sentíamos profundamente abençoados. Nossa gratidão era imensa.

Mas a história não acaba aqui

Quase um mês depois do acidente, Brian acordou de seu soninho da tarde e disse: "Sente-se, mamãe. Eu tenho algo a lhe dizer." nesta época de sua vida, Brian geralmente falava em frases pequenas; então, essa sentença maior surpreendeu minha mulher. Ela se sentou na cama dele e ele começou esta história sagrada e remarcável.

"Você se lembra quando eu fiquei preso embaixo da porta da garagem? Bem, ela era tão pesada e me machucava muito. Eu chamei você, mas você não podia me ouvir. Eu comecei a chorar, mas então doía mais. Então os pássaros vieram."

"Os pássaros?" perguntou intrigada minha mulher. "Sim", ele respondeu. "Os pássaros fizeram um som e voaram para a garagem. Eles tomaram conta de mim. Um dos pássaros veio e foi te chamar. Ele foi te avisar que eu estava preso debaixo da porta." Um doce sentimento de reverência preencheu o quarto. O espírito era tão forte e mesmo assim, mais leve que o ar. Minha esposa percebeu que uma criança de 3 anos não tinha nenhum conceito de morte ou de espíritos, então ele estava se referindo aos seres que vieram do além como "pássaros" porque eles estavam no ar como os pássaros que voam.

"Como eram os pássaros?" ela perguntou. Brian respondeu: "Eles são tão bonitos. Eles estavam vestidos de branco, tudo branco. Alguns deles tinham verde e branco. Mas alguns deles tinham apenas branco." "Eles falaram alguma coisa?" "Sim, eles disseram que a criança estaria bem." "A criança?" minha esposa perguntou confusa. Brian respondeu: "A criança deitada no chão da garagem." Ele continuou: "Você veio e abriu a porta da garagem e correu para a criança. Você disse à criança para ficar, para não ir embora." Minha mulher quase teve um colapso, pois na verdade ela havia ido para perto de Brian, se ajoelhado ao lado do seu corpo e vendo seu peito esmagado, ela sussurou: "Não nos deixe, Brian, por favor fique se você puder." Enquanto ela escutava Brian falar as palavras que ela havia pronunciado, ela percebeu que o espírito havia deixado o corpo de seu filho e havia assistido a tudo de cima da sua forma sem vida.

"Então, o que aconteceu? " ela perguntou. "Nós fomos fazer uma viagem, muito, muito longe." Ele ficou muito agitado tentando explicar coisas para as quais ele ainda não tinha palavras. Minha esposa tentou acalmá-lo e confortá-lo, e fazer com que ele soubesse que estava tudo bem. Ele lutava tentando falar sobre algo que obviamente era muito importante para ele, mas encontrar as palavras era difícil. "Nós voamos tão rapidamente no ar. Eles são tão bonitos, mamãe", ele falou. "E existem muitos e muitos pássaros."

Minha esposa estava atônita. Em sua mente, uma suave conforto espiritual a envolveu fortemente, mas com uma urgência que ela nunca havia sentido. Brian continuou, dizendo que os "pássaros" lhe haviam dito para voltar e contar a todos sua história. Eles disseram que o haviam trazido de volta para a casa e que um grande caminhão e uma ambulância estavam lá. Um homem estava trazendo a criança para fora numa cama branca e ele estava tentando dizer ao homem que a criança ficaria bem, mas o homem não podia ouví-lo. Ele disse que os "pássaros" lhe haviam dito que ele tinha que ir com a ambulância, mas que eles estariam perto dele. Ele disse que eles eram tão bonitos e tão cheios de paz, que ele não queria voltar.

E então veio a luz brilhante. Ele disse que a luz era tão brilhante e tão quente e que ele havia gostado muito da luz brilhante. Alguém estava na luz brilhante e colocou seus braços ao redor dele, e lhe disse: "Eu o amo, mas você deve voltar. Você tem que jogar beisebol e falar a todos a respeito dos "pássaros". Então a pessoa na luz brilhante o beijou e acenou um adeus. Então aquele som veio e eles foram para as nuvens. A história continuou por uma hora. Ele nos disse que os "pássaros" estão sempre conosco, mas que não os vemos porque olhamos com os nossos olhos e não os ouvimos porque os escutamos com nossos ouvidos. mas eles estão sempre por aqui, e só podemos ve-los aqui (ele colocou as mãos sobre o coração). Eles sussurram coisas para nos ajudar a fazer o que é certo, porque eles nos amam muito.

Brian continuou: "Eu tenho um projeto, mamãe. Você tem um projeto. O papai tem um projeto. Todo mundo tem um plano. Nós todos devemos viver o nosso plano e manter nossas promessas. Os "pássaros" nos ajudam porque eles nos amam muito." Nas semanas seguintes, ele freqüentemente chegava perto de nós e contava tudo isto de novo, ou parte disto. A história sempre permaneceu a mesma. Nunca houve mudança nos detalhes e a história nunca estava fora de ordem. Algumas vezes ele acrescentou algumas pequenas informações e deixou mais clara a mensagem que ele já havia contado. Sempre nos impressionou como ele podia saber de tantos detalhes e como podia falar muito além de sua capacidade quando ele falava dos "pássaros". Onde quer que ele fosse, ele falava aos estranhos sobre os "pássaros". Surpreendentemente, ninguém o olhava de maneira estranha quando ele fazia isto. Em vez disso, sempre o olhar das pessoas se suavizava e elas sorriam.

Não é necessário dizer que nós nunca mais fomos os mesmos desde aquele dia, e eu rezo para que nunca sejamos.